Vencedores da Seletiva de Kart Petrobras vivem experiência única com Ingo Hoffmann no Velo Città

Os melhores colocados na final de 2014 participaram do Mitsubishi Racing Experience. Parceria dos organizadores da Seletiva com a montadora também proporcionou uma palestra com o diretor de marketing da Mitsubishi Motors do Brasil e ainda levou os kartistas para conhecerem a sede da Ralliart

239481_454955_img_1669netUm dia inesquecível na vida dos vencedores da edição de 2014 da Seletiva de Kart Petrobras. O campeão da 16ª edição Pietro Rimbano, o terceiro colocado Matheus Leist e o quarto colocado Mauro Auricchio – os quatro atualmente com 16 anos – tiveram nesta quarta-feira (dia 12) uma palestra com um dos maiores nomes do automobilismo nacional, o piloto Ingo Hoffmann, e ainda participaram do Mitsubishi Racing Experience no moderno circuito Velo Città, em Mogi Guaçu, no interior de São Paulo. O vice-campeão Vinícius Papareli não pôde participar da ação, em virtude de compromissos no exterior.

Um dia antes de acelerarem os velozes Lancer R, os kartistas também assistiram uma palestra do diretor de marketing da Mitsubishi Motors do Brasil, Fernando Julianelli, na seda empresa em São Paulo, e à tarde – já em Mogi Guaçu – visitaram a sede da Ralliart Brasil, divisão de alta performance da Mitsubishi Motors. São mais de 10 mil metros quadrados com todos os equipamentos essenciais para a criação, preparação e manutenção de veículos de competição.

Todas as ações desta parceria dos organizadores da Seletiva de Kart Petrobras com a Mitsubishi Motors do Brasil fazem parte do novo programa de orientação da Seletiva, que premiou os melhores colocados na final de 2014, realizada em outubro, e reuniu os 12 melhores kartistas do país na categoria Graduados (entre 15 e 18 anos).

Foto: divulgação
Os pilotos aceleram no moderno Velo Città. Foto: divulgação

Ex-piloto de F-1 e doze vezes campeão da Stock Car, Ingo Hoffmann contou aos jovens pilotos um pouco sobre sua carreira, as dificuldades e conquistas. Também deu dicas de pilotagem ao lado de Duda Pamplona – ex-piloto e atualmente chefe de equipe na Stock Car – e Eric Darwich, que atuam como instrutores no Velo Città. Em seguida, foi a vez de acelerar no Mitsubishi Racing Experience, a bordo de um Lancer R, com 306 cavalos de potência.

Hoffmann elogiou a performance dos jovens kartistas e ficou satisfeito em fazer parte do projeto. Mas alertou sobre as características que fazem um piloto campeão. “Sem dúvida, é uma experiência muito bacana. Não é fácil o caminho para ser um piloto profissional, então é importante ter sempre os pés no chão e estar determinado. Até a minha última corrida, eu estava aprendendo alguma coisa. Fiquei muito contente com a performance dos pilotos na pista e, talvez não hoje, mas em algum momento eles vão absorver tudo o que aprenderam aqui, tudo o que dissemos. Mas para isso é importante ter sempre a vontade de ouvir, de aprender. E ter comprometimento e determinação para poder passar por todos os obstáculos que eles ainda irão enfrentar. Este é um esporte muito prazeroso, mas para cada alegria, você tem umas dez frustrações, então só com muito foco você chega lá”, disse.

Rimbano, Hoffmann, Leist e Auricchio (da esquerda para a direita) Foto: dvulgação
Rimbano, Hoffmann, Leist e Auricchio (da esquerda para a direita) Foto: dvulgação

Pamplona, atualmente chefe de uma das equipes da Stock Car, ressaltou que gostaria de ter uma oportunidade como esta, quando ainda estava no início de sua carreira. “É uma oportunidade muito especial. Se eu tivesse isso na minha época do kart, teria agarrado com toda a força. Quem souber aproveitar um pouco do que falamos aqui, do que aprendeu, vai sair na frente. O automobilismo não é um esporte fácil e você precisa estar sempre preparado para buscar o seu sonho, acreditar e se dedicar ao máximo para estar pronto quando uma grande oportunidade surgir”, destacou.

O curso deu aos kartistas a possibilidade de já requerer a carteira de piloto profissional de pista, categoria PGCB, junto à CBA (Confederação Brasileira de Automobilismo).

Foi a primeira experiência dos pilotos com carros de turismo e, apesar de todas as novidades, eles mostraram uma ótima evolução ao longo do dia na pista. Os três elogiaram muito o carro e toda a excelente estrutura do Velo Città. E guardarão as dicas recebidas como ensinamentos para a vida toda.

“O Ingo tem mais de 30 anos de experiência no automobilismo e ter essa oportunidade de aprender com ele é muito importante e, com certeza, é um grande momento da minha carreira ter essa oportunidade. Foi minha primeira experiência em carro de turismo, até então tinha andado só de fórmula, mas achei bem legal, procurei sempre evoluir com o que falavam e melhorei bastante, da primeira vez até a última vez que andei na pista melhorei quatro segundos e contei com a ajudas deles, pois falavam onde frear, acelerar, como fazer tangência de certa curva, achei bem legal”, avaliou Leist.

“Gostei muito da palestra do Ingo. Ele dá uns toques dentro e fora da pista que são excepcionais para um piloto, deu umas dicas muito boas sobre a carreira e gostei muito”, declarou Rimbano.

“Achei excelente a palestra do Ingo, nunca tive um aprendizado assim na vida, foi muito boa. O que achei mais importante foi sobre o que ele disse sobre concentração, preparação física e condicionamento físico. Foi a primeira vez que andei em um carro de turismo e foi uma experiência muito boa. Levarei todas as informações da palestra em minha carreira, foi tudo ótimo”, frisou Auricchio.

A importância do relacionamento com os patrocinadores

Fora das pistas, os pilotos também viveram um grande aprendizado com Fernando Julianelli. O diretor de marketing da Mitsubishi Motors do Brasil – que antes de ser publicitário correu em categorias de turismo – mostrou para os pilotos a importância de um bom relacionamento com os patrocinadores. Algo que vai muito além de colocar a marca no carro ou bordar o logo no macacão.

“Foi muito legal poder passar um pouco da minha experiência em gestão de marcas, como se comportar com um patrocinador e poder contribuir um pouco para essa nova geração de pilotos. Acho esse tipo de iniciativa fundamental, pois tão importante quanto ser rápido e chegar na frente é saber como ser representante de uma marca. Sem dúvida, é um complemento fundamental neste programa muito interessante que a Seletiva está proporcionando para eles”, avaliou Julianelli.

“Gostei bastante da palestra. O Fernando mostrou que não adianta só pensar em colocar a marca no carro. Você tem que saber lidar com o patrocinador, o público e usar a marca em outras ações fora das pistas”, comentou Rimbano.

“Ele nos passou muito bem a importância de como lidar com o patrocínio antes, durante e depois de conquista-lo. Como usar a marca da melhor forma possível e lidar com ela. Tem muita coisa que envolve o antes e depois, que vai além de ganhar corrida. Já consegui ter algumas ideias novas, para propor para os meus patrocinadores”, ressaltou Leist. “Foi bastante interessante. Abriu mais a minha cabeça para propor coisas novas para os patrocinadores”, completou Auricchio.

Após a experiência com carros de turismo, os pilotos preparam-se agora para a segunda parte do programa, que inclui a viagem para a Europa, onde farão um teste com a equipe Koiranen GP, campeã de 2014 na Fórmula Renault Alps e Fórmula Renault Europeia e experimentarão um simulador de F-1. Na volta ao Brasil, eles terão ainda a preparação física com Nuno Cobra Jr. e participarão de um media training.

“Nós sabemos que um dia de orientação, seja de marketing esportivo ou na pista com pilotos experientes, não vai fazer um piloto aprender tudo o que ele tem de saber para a carreira dele, mas certamente vai mostrar o caminho para que ele possa ter sucesso no futuro”, acredita Binho Carcasci, organizador da Seletiva de Kart Petrobras nesses 16 anos.

“Esses foram os dois primeiros dias desta nova premiação da Seletiva de Kart Petrobras e estou muito feliz em atingir os objetivos que tínhamos quando planejamos estas ações”, finalizou.

Seletiva de Kart Petrobras –
Criada em 1999, com o patrocínio da Petrobras e Petrobras Distribuidora, a Seletiva foi composta por quatro etapas classificatórias em 2014, realizadas dentro dos principais campeonatos regionais do país. Doze pilotos foram selecionados para a grande final, onde competiram em condições de igualdade. Participam do torneio kartistas entre 15 e 18 anos. Desde 2012, ex-campeões não podem defender seus títulos. Em média, aproximadamente 110 pilotos tentam a vaga na final da Seletiva por ano e, em 15 anos, mais de 150 já estiveram disputando a final.

Considerada uma referência entre os kartistas do Brasil, a Seletiva de Kart Petrobras é reconhecida (desde 2001) como evento oficial da Confederação Brasileira de Automobilismo (CBA) e da Comissão Nacional de Kart (CNK).

Além da maior premiação em dinheiro do kartismo nacional, a Seletiva de Kart Petrobras este ano contemplou os quatro primeiros colocados na final com a participação em um programa de orientação de pilotos, que incluirá um teste com simulador de F-1 na Europa, um teste com uma equipe do automobilismo de base europeu, com a orientação de um coach, acompanhamento físico e psicológico, participação no Mitsubishi Driving Experience, palestra sobre marketing e media training. A premiação total – somando todas as ações – chegará a 250 mil reais. O campeão recebeu 60 mil reais em dinheiro.

Os finalistas disputaram o título com chassis modelo New R, fornecidos pela fabricante brasileira Birel Sudam.

Crédito: Assessoria

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

18 − quinze =